sexta-feira, 8 de março de 2013

A Importância dos Grandes Rios No Desenvolvimento da Sociedade

Quase desde o início da Aventura Humana, quando as bases da Sociedade começaram a surgir, ocorrendo o abandono gradual do modo de vida nômade e o surgimento de uma forma de vida mais sedentária, houve uma tendência dos grupos de humanos de se fixarem próximos a rios.

Em geral, os estudiosos tendem a olhar o impacto dos rios de uma forma mais limitada, se fixando somente a uma civilização específica, mas venho através desse texto para analisar a questão de uma forma mais ampla e completa.

O Advento da Agricultura



Vindo de um longo período em que a coleta, a caça e as migrações para novos lugares eram a única forma de vida conhecida, alguns agrupamentos humanos começaram a se fixar em lugares específicos, e por motivos claros. A atividade agrária que estava começando a se desenvolver necessitava de um fator fundamental: água. 

Ao tentar cultivar as plantas (trigo, cevada, etc) e observar como e onde cresciam, os humanos perceberam que as áreas próximas aos rios eram extremamente férteis, em especial após as cheias sazonais. Os rios transbordavam com as chuvas e o degelo da neve das montanhas, o que gerava uma grande quantidade de sedimento que aumentava muito a área do leito do rio. Quando toda essa água ia embora, uma espessa camada de sedimentos cobria as terras ao redor do leito normal do rio, e essa terra era (e ainda é) excelente para a agricultura, um potente fertilizante natural que alimentou grandes civilizações por longos períodos.

O Advento da Criação de Animais


Igualmente importante para o desenvolvimento humano foi o início da domesticação de animais.

Por milhares de anos, a única forma de conseguir carne foi a caça. Enquanto eram nômades, os seres humanos tinham poucos recursos, e sua vida de caminhadas não permitia que eles tivessem rebanhos, já que animais não podem ser levados de um lado para outro o tempo todo, era necessário um lugar fixo para criá-los.

Dessa forma, quando os povos do Oriente Médio começaram a criar rebanhos, os animais de alguma forma os prenderam a um só lugar, já que não podiam viajar longas distâncias com eles, e a agricultura foi desenvolvida em conjunto com essa atividade, de forma que a vida sedentária foi finalmente possível.

Animais também precisam de água para sobreviver, assim, a permanência próximo aos rios também foi necessária.

Uma Nova Forma de Vida


Quando aprenderam a domar animais e a utilizar as cheias dos rios de forma mais eficiente, os povos desenvolveram técnicas de construção mais inteligentes, que permitiram que fossem construídos aquedutos e canais que levavam água para plantações um pouco mais distantes, e também para fornecer água para as residências.

Diferentemente do modo de vida nômade, quando a escassez de alimentos forçava os agrupamentos humanos a se mudar para um novo local, a agricultura e a criação de animais abriu um novo capítulo na história humana. Agora o excedente de alimentos podia ser estocado para tempos de fome e seca, e a criação de animais fornecia uma fonte importantíssima de carne, o que tornava difícil uma fome repentina que matasse a população.

Dessa forma, a população começou a crescer vertiginosamente, e logo as margens dos rios tornaram-se apinhadas de grandes cidades, onde um desenvolvimento profundo mudou definitivamente os rumos da vida humana.

Grandes Rios, Grandes Civilizações

Mapa que mostra os principais rios e a área inicial das grandes civilizações. Clique na imagem para ampliá-la.
Quase que simultaneamente, diversas civilizações distintas se desenvolveram ao longo de vários rios, eis os principais (me absterei de maiores detalhes sobre as sociedades, eles serão dados em outros posts):


Tigre / Eufrates


Os dois rios gêmeos formavam (junto com o rio Nilo) o chamado Crescente Fértil, uma região de grande abundância e terras férteis, onde as civilizações se desenvolveram inicialmente. Entre os dois rios, e em ambas as margens, um solo extremamente rico favoreceu o início da agricultura e da criação de animais.

Das civilizações que apareceram ali, merecem destaque a da Mesopotâmia, Babilônia, e mais tardiamente a dos Assírios e Caldeus.

Nilo


Possivelmente o mais famoso e conhecido dos rios da antiguidade, o rio Nilo foi onde se desenvolveu a civilização dos Egípcios, um dos povos mais avançados da antiguidade, que souberam usar muito bem o poder devastador das enchentes sazonais em proveito da agricultura.


Rio Indo



O rio sagrado que daria origem a um povo de suma importância para o desenvolvimento da Índia, os Hindus. As suas enchentes eram maiores que a do Nilo, então a civilização que ali floresceu era muito grata pelas cheias, que  ajudaram a gerar (acreditam os pesquisadores) pela primeira vez a cana-de-açúcar e o algodão, que mais tarde seriam de suma importância para a história humana.



Rio Amarelo



O poderoso rio da China, que daria sustento a civilização chinesa. Foi em suas margens que boa parte dos inventos memoráveis dos chineses tomariam forma, e foi graças a suas poderosas enchentes ricas em sedimentos (muito superiores a de qualquer outro rio em qualquer lugar do mundo) que o povo chinês teve chances de crescer tanto.

RESUMO

Os grandes rios ajudaram muito na história humana. Foi nas suas margens que a agricultura foi praticada com sucesso pela primeira vez, assim como a criação de animais. Foi ali que técnicas de navegação começaram a ser inventadas e empregadas, técnicas essas, que depois de evoluírem  permitiriam que o povo europeu dominasse o mundo.

Suas águas forneceram por muitas gerações vida e morte, prosperidade e pobreza, e sua importância não pode ser expressa de forma coerente, tamanho os avanços que foram conseguidos graças a sua influência.

Belo desenho, que dá uma ideia de como era a organização da civilização Egípcia em relação às cheias do Nilo, e (pode-se supor) nas margens dos outros grandes rios.

4 comentários: